Vegetarianismo

XXI

O Naturismo e a Economia



Nesta civilização caótica, profundamente materialista, egoísta, tecnocrata, antinatural, muito se fala sobre a economia, sobre os meios financeiros e até sobre o meio ambiente.

Contudo, começa a ser cada vez mais evidente que este sistema mais ou menos global está conduzindo a Humanidade a uma situação de pseudo bem-estar, em que as doenças crónicas aumentam com enormes custos financeiros, em que milhões e milhões de seres humanos vivem com sérios problemas, desde falta de meios alimentares, a água cada vez é um bem mais precioso e a água potável vai ser um bem raro, isto se não houver mudanças profundas em todo o sistema, nas nossas mentalidades, na nossa maneira de actuar.

Não é fácil mudar de hábitos, quantas das vezes vemos o que é melhor e aprovamos, mas seguimos o contrário. A razão reside no facto de que é algo fácil mudar de pensamentos, mas mudar os actos, vencer a besta que temos em nosso interior ligada ao corpo de desejos, à natureza inferior, é um problema muito mais difícil. O caminho é cultivar profundamente o altruísmo em obras e em verdade, trabalhar com amor puro e humilde e nada esperar nem um obrigado, na medida em que procedermos deste modo vão-se formando fibras transversais no nosso coração, músculo involuntário, mas que quando ele estiver cheio dessas fibras nesse sentido, eis que passará a voluntário, estará debaixo do domínio do Espírito do Amor, então teremos o domínio de nós mesmos, o domínio da besta interna que desaparecerá para dar lugar a um veículo ao serviço do amor universal, a partir daí viveremos em sintonia com as Leis Divinas ou Naturais, a Fraternidade Universal será uma realidade, as Artes serão cultivadas num nível muito elevado como meio de libertação e de progresso.

Mas tudo tem o seu tempo, vamos mudando e já de hábitos alimentares, ser vegetariano contribui para melhorar o meio ambiente, para criar um mundo mais são e amoroso, mas não chega mudar de hábitos alimentares, temos de mudar os outros desde os pensamentos, às emoções e sentimentos, até ao cultivo de hábitos em sintonia com as Leis da Natureza, com as Leis de Deus.

Há estudos feitos sobre o que é necessário para a alimentação vegetariana e para a omnívora, a própria F.A.O, Organização para a Alimentação e Agricultura, Organismo ligado à ONU, já reconheceu que uma dieta omnívora emite numerosos gases com efeito estufa, agravando o estado do meio ambiente. Ora sabemos que estamos chegando a um estado de coisas em que as alterações ambientais estão originando secas e inundações, com enormes e graves consequências para todos nós, desde a saúde até aos bens alimentares, aos bens em geral.

Por isso, o sistema vegetariano é uma necessidade cada vez maior e um poderoso meio de ajuda a equilibrar o meio ambiente.

Com esse equilíbrio, tudo é beneficiado, incluindo a economia individual e a de cada país, como a global.

Há estudos comparativos sobre o que é necessário para alimentar as pessoas no campo das necessidades proteicas, se for de origem vegetal num espaço, por exemplo, de 3 hectares, num tempo de mais ou menos 4 anos, pois temos mil quinhentos quilos de proteína; se for de origem animal não chegará a uma centena de quilos. Por outro lado para alimentar os animais é necessário uma quantidade enorme de produtos vegetais, sejam cereais ou pasto.

Agora compare-se ainda os custos com a redução da poluição, com o tratamento das águas, etc, etc.

Muitos outros pontos se podem focar, mas não tenhamos dúvidas é urgente que os investimentos sejam aplicados cada vez mais na agricultura biológica, nos produtos vegetais, desde pomares até à soja, como nas indústrias alimentares desde bons sumos até leite, manteiga de soja, etc, numa ligação entre os Ministérios da Agricultura, da Educação, da Economia, do Meio Ambiente e da Saúde, porque o tempo começa a ser pouco para evitar sérios problemas em todas as áreas da vida na Terra.

 

[ Vegetarianismo ]