Vegetarianismo

XVIII

O Naturismo e a Educação



Sabemos por experiência própria na educação dos filhos e não só do valor real do naturismo.

Nesses tempos, década de 60, conseguíamos leite, requeijão, queijos frescos além de produtos vegetais de agricultura biológica, aqueles oriundos dos próprios produtores, especialmente no Alentejo. Como eram tão saborosos esses alimentos!!!

Uma alimentação adequada, vegetariana, é altamente benéfica na educação.

Da mesma forma o é na fase da gravidez. Melhora a saúde da mãe, em todos os aspectos especialmente sobre o seu aparelho endócrino e vai beneficiar o feto, como depois na lactação.

Na Inglaterra onde há cerca de quatro milhões de vegetarianos; também as pessoas podem escolher refeições vegetarianas em suas escolas, facto esse que deve ser incentivado em todos os povos para bem da Humanidade e do meio ambiente.

Portugal que em tempos esteve à frente na cultura, foi pioneiro em várias áreas, pode e deve dar de novo um passo em frente.

Portugal tem de vencer mentes caducas e cristalizadas e avançar, voltando a ocupar o lugar que é seu, renovando a sua cultura universalista.

Uma alimentação vegetariana nas crianças contribuirá para que elas sejam mais amantes da Natureza, mais pacíficas, mais amorosas, o que nesta fase é cada vez mais urgente.

Ao melhorar todo o organismo físico, o vegetarianismo, usado com sabedoria, é altamente benéfico para a prevenção de enfermidades, como para ajudar no seu tratamento.

Voltando à Inglaterra, no ano 1994, quando visitámos este país, pudemos ver com alegria que em algumas unidades hoteleiras havia refeições vegetarianas para quem desejasse; mais uma área que podemos avançar mais e melhor.

Para uma educação integral, para uma formação mais profunda, incluir o naturismo é uma necessidade cada vez mais urgente, ele é uma forma de vida amante de toda a criação, livre e libertadora.

 

[ Vegetarianismo ]