Vegetarianismo

XI

Ecologia e o Naturismo



Cada vez mais se fala sobre o meio ambiente, desde o aquecimento global, à camada do ozono, à poluição das águas, do ar, dos terrenos, às influências na nossa saúde, às alterações climatéricas, ao futuro deste planeta e dos seres vivos que nele evoluem.

Sabemos quais são as causas, logo só há um caminho é suprimi-las pois enquanto não forem eliminadas, tudo como dantes...

Urge mudar de hábitos em muitos sectores e um deles reside na alimentação, assunto que cada vez está mais na ordem do dia pois a comunidade científica começa a estar atenta, reconhecendo o valor do vegetarianismo para a saúde, como meio de prevenção e de cura, como um dos meios mais valiosos para ajudar a resolver os problemas graves que a todos nos afectam sobre o meio ambiente.

Há já muitos estudos sobre comparações entre os regimes omnívoros e os vegetarianos em que estes são incomparavelmente mais ecológicos que os outros.

A agricultura biológica é uma necessidade urgente. Portugal necessita de progredir muito mais nesta área; basta saber as percentagens dos países nórdicos, como da Alemanha, da Áustria e a nossa; a diferença é enorme.

Ora além de melhorar o nosso meio ambiente, teríamos melhores condições para a prevenção das enfermidades como da sua cura.

Temos conversado com alguns agricultores, designadamente com os que já seguem a agricultura integrada que, como sabemos, já usa menos venenos para o meio ambiente e para os produtos alimentares e há um desejo de avançar, como até alguns reconhecem que vai ser a agricultura do futuro, só que há que incentivar, dando melhores condições, como os agricultores terão de saber viver em cooperativas desde a produção até à venda, com áreas muito maiores de cultivo, pois só assim será mais viável esta produção que ajudará à criação de um meio ambiente mais equilibrado.

Por outro lado, para se criar animais em enormes quantidades para consumo, que efeitos vêm desta área para o meio ambiente, desde o ar, a água, ao solo?

Bem, este assunto é algo que exige muita prudência. Há postos de trabalho, há muitos interesses, mas é urgente que cada qual veja por si o que deve fazer, pois todos somos responsáveis pela Terra que vamos entregar aos nossos filhos, netos e assim por diante.

E a nossa responsabilidade é grande.

Mudar de hábitos não é fácil, como a reconversão das indústrias, mas tudo é possível desde que tenhamos mente aberta, mais altruísmo, capacidade inovadora, já há leite de soja, manteiga de soja, queijo de soja e até chouriços de soja, incluindo vinho sem álcool, ginja sem álcool, sumos de frutos e assim por diante.

Há pastéis vegetarianos que muitos, quando estão a comer, pela primeira vez, pensam que têm carne e não.

Podemos mudar de hábitos. Aliás estamos mudando e mais rápido que por vezes pensamos. Isso vimos, há dias, no número de pessoas que vão, agora ao restaurante vegetariano da Sociedade Portuguesa de Naturalogia, com Sede em Lisboa.

Na realidade, chegou a Hora de mudar.

 

[ Vegetarianismo ]