Paracelso e a Arte, a Ciência e a Religião

Da Era do Aquário


“A minha grande aspiração é curar os enfermos

de acordo com os ensinamentos de Cristo”.

Paracelso
(1493-1541)

 

Paracelso-Busto na Câmara Municipal de Villach-Austria
Foto oferecida pela Câmara Municipal de Villach,
Áustria, nas comemorações dos 500 anos após
o seu nascimento, 1993.

 

Estamos aproximando-nos do ano 2 658 quando, devido ao movimento de precessão dos equinócios, o Sol estará na cúspide da constelação do Aquário. Daqui até lá numerosas mudanças, algumas profundas, vão decorrer em todas as actividades, nas artes, nas ciências, nas religiões, como noutros domínios humanos, e ainda nas condições físicas e suprafísicas da Terra e nos nossos corpos (físico, vital, de desejos e na mente).

A saúde será um dos campos onde haverá maiores mutações. As alterações ambientais, climatéricas e as devido à Lei da Causa e do Efeito, como a necessidade de modificações em nossos corpos para se adaptarem a novas condições ambientais, com uma atmosfera menos húmida, com condições etéreas com maior vibração.

Os ensinamentos de Paracelso, do cristianismo esotérico, surgem como um farol nesta fase de grandes oportunidades e provas.

Como a medicina paracelsiana é uma profunda união entre a arte, a ciência e a religião, eis que, de novo, os seus ensinamentos serão reabilitados, contribuindo para a criação da medicina da Era do Aquário.

Paracelso deu exemplo com as suas investigações clarividentes, com a prática da sagrada arte de curar em sintonia com os ensinamentos de Cristo, seu Ideal, de quem se considerava como servo humilde.

De acordo com os relatos das suas viagens pela Europa que estão no arquivo da Universidade de Zurique, Suiça, esteve em diversas cidades desde Viena, Constantinopla, Palermo, Nápoles, Veneza, Munique, Estrasburgo, Barcelona, Granada, Sevilha, Lisboa, Santiago de Compostela, León, Salamanca, Saragoça, Paris, Oxford, Copenhaga, Estocolmo, Linz, Villach, Basileia e Salzburgo, entre outras. Nelas além de ajudar a curar, gratuitamente, especialmente os mais pobres, como os prostituídos da sociedade, qual apóstolo de Cristo, foi o precursor dos médicos sem fronteiras.

Aproveitou ainda para fomentar as Escolas de Iniciação Rosacruz, algumas já tinham dado bons frutos para a Humanidade, depois receberam novo impulso que serviu de água cristalina para outros iniciados que “de novo, voltaram ao mundo físico”.

No campo da astrosofia, Paracelso soube aplicá-la com sapiência ainda hoje demasiado elevada, basta ler “Les Sept Livres de l’Archidoxe Magique”, edição Bussiére, Paris, 1983, ou “O labirinto dos médicos errantes”. Não se limitava a levantar o tema astrosófico e a interpretá-lo com a sua capacidade de clarividente voluntário, investigava o melhor momento para curar determinada doença, para usar o remédio alquímico, mais eficaz.

Assim, para curar a lepra, devemos manufacturar o medicamento em uma hora de Saturno; os remédios como as operações devem ser feitas nos dias e horas apropriadas. Para a vista, numa hora de Mercúrio, consciente que cada ser humano, ao nascer contem em si o seu firmamento, os “sete princípios” numa união aos 7 Logos Planetários.

Porque a medicina é uma arte sagrada, defende que ela deve ser exercida com puro Amor, para bem dos enfermos e não dos médicos.

Por isso, os médicos egoístas pouco fazem a favor dos seus doentes.

Max Heindel, mais tarde, nos princípios do século XX dá valor aos estudos e ao trabalho de Paracelso e segue-o em muitos campos; o mesmo sucedeu com Francisco Marques Rodrigues que considerou o seu mestre.

Quereis encontrar Deus, perguntava Paracelso? O caminho é buscá-lo dentro de vós. Temos de saber ouvir o deus interno, parte do Absoluto, a única fonte de Vida, de Amor e de Luz.

Para este médico rosacruz, os micróbios etc, são o produto dos nossos maus pensamentos, desejos, sentimentos, acções, pelo que a verdadeira prevenção passa por viver de acordo com as sábias Leis Divinas.

No futuro, afirmou, serão criados órgãos para substituir outros, para isso é necessário profundo altruísmo e sabedoria; os remédios serão alquímicos, preparados com muito amor e no respeito total pela vida que é sagrada.

Não será de admirar que Paracelso tenha curado muitos enfermos que eram considerados como incuráveis e fê-lo por meio de CIÊNCIA MARAVILHOSA, como consta no túmulo onde estão os restos mortais, na Igreja de S. Sebastião, em Salzburgo, Áustria.

Ainda, hoje, são desconhecidos muitos dos produtos que usou!!!

Contudo, a filosofia rosacruz que comunicou está cada vez mais actual como uma das suas máximas de profundo pensamento positivo e do reconhecimento do Poder curativo de Deus:

“Não há nenhuma doença para a qual Deus não haja previsto a sua cura.”

Na Era do Aquário, os médicos paracelsianos saberão cumprir a Sua Vontade e as curas serão realidades para sempre, porque a saúde será o estado normal de cada ser humano.

 

[ Saúde ]