Sociedade Portuguesa de Naturalogia

1º Centenário (1912 - 2012)


Tempos virão em que os seres humanos
sentirão prazer na alimentação vegetariana,
considerando um crime assassinar um animal,
como hoje se considera um homicídio.

Leonardo da Vinci
(1452-1519)      


O Naturismo apareceu em Portugal no século XIX com o Padre Himalaia, com os seus inventos e propaganda constante em defesa do Vegetarianismo.

Em 12-10-1912 funda-se a Sociedade Naturista Portuguesa que posteriormente passou a ter o nome de Sociedade Portuguesa de Naturalogia, sendo seus fundadores Luciano Silva e Dr. Roberto das Neves.


Capa da Revista Vida Sã, da Sociedade Portuguesa de Naturalogia

Capa da Revista Vida Sã



Cartaz da Exposição do 1º Centenário da

Sociedade Portuguesa de Naturalogia,

no Museu Municipal do Bombarral.


Cartaz da Exposição do 1º Centenário da Sociedade Portuguesa de Naturalogia


Capa do Catálogo da Exposição do

1º Centenário da

Sociedade Portuguesa de Naturalogia, a realizar

entre 26 de Maio e 17 de Junho de 2012,

no Museu Municipal do Bombarral.


Capa do Catálogo da Exposição

 

Catálogo da Exposição Bibliográfica, Iconográfica e Filatélica                       (em PDF)
Desde os finais da monarquia e durante a primeira república, o vegetarianismo avança em Portugal dando numerosos e valiosos frutos para a saúde pública, para o meio ambiente, para a criação de empresas, como para vários contactos com outros países, contribuindo, assim, para a criação dum mundo melhor.

 

Inauguração da Exposição dos 100 Anos da SPN

 

Juntamos algumas reportagens em jornais e na revista da SPN.



















E ainda algumas fotografias.

Momento em que falou o Presidente da Câmara Municipal do
Concelho do Bombarral, José Manuel Vieira.








 

Algumas fotos
















 

 

Centenário da Sociedade Portuguesa de Naturalogia

Comemorações com elevado nível que incluiu o lançamento de um livro

relacionado com os 100 anos desta associação e não só.



No passado dia 13 de Outubro a SPN comemorou os seus 100 anos. Um programa intenso e extenso que abrangeu conferências diversas, salientamos a de um professor universitário de medicina que criou um novo método para tratamento de problemas da próstata e de doenças uterinas. Seu trabalho é reconhecido internacionalmente, tendo sido já premiado, em Portugal é perseguido, embora a sua equipa tenha já curado muitas pessoas, até declamação de poemas pelos Trovadores, danças orientais, etc., etc., etc., terminando com um jantar comemorativo, deliciosamente concebido.



Momento cultural pelos Trovadores Defensores da Poesia e Prosa
Um momento cultural de elevado nível pelos Trovadores
Defensores da Poesia e Prosa Portuguesa, os Jograis U… Tópico.


Momento de danças orientais
Um momento das danças orientais. No caso, Belly Dance.


Jantar comemorativo
Uma pequena amostra do jantar comemorativo.


Outro aspeto do jantar
Outro aspeto.

 

Porque o espaço tem de ser bem aproveitado, sobre as comemorações nos dias 12, 13 e 14 de Outubro, que começavam de manhã e terminavam pela meia-noite, seguimos para o lançamento do livro sobre os 100 anos da SPN.

Autoria, o nosso amigo licenciado em química e em engenharia química, António Cardoso, neste momento o sócio mais antigo da SPN.

Data do lançamento, dia 27, pelas 18 horas.

Aberta a sessão pelo professor Carlos Ventura, presidente da Direção da SPN, passou a palavra a João Palma, tesoureiro desta Associação de Utilidade Pública, que apresentou o programa dos eventos até ao final do ano. Neste campo, praticamente todos os dias existem diversas atividades, umas ligadas às artes; outras às ciências, conferências, passeios pedestres, restaurante, ecologia, a esta Associação, ao seu sócio, jornalista Afonso Cautela, ao povo de Ferrel e outras pessoas se devem a não construção de uma central nuclear em Ferrel, Peniche.

De seguida, Carlos Ventura fez uma sucinta mas profunda biografia do autor da obra e finalmente António Cardoso lembra que este seu trabalho é produto das suas memórias. Muito embora a sua idade já avançada, seja de inverno ou de verão apenas usa uma camisa, na parte superior do corpo, e tem uma memória excecional.

Neste seu trabalho além de focar diversos dados sobre a História da SPN e do Naturismo em Portugal, desde Padre Himalaia pioneiro no século XIX da medicina natural em Portugal, para isso, esteve nos USA, como no antigo Império Austro-Húngaro, mas é em Portugal, no seu país que se dedica a cumprir o mandamento de Cristo: curar os enfermos, até à atualidade.

Ao longo destes cem anos, por esta associação passaram vários milhares de sócios, Cardoso faz uma síntese de todo este movimento, dos restaurantes vegetarianos, das pessoas que deram algo de especial a este movimento desde o médico Dr. Amílcar de Sousa, no Porto, até a outros médicos, alguns conhecemos também pessoalmente, desde Fred Vasques Homem, Adriano de Oliveira, entre outros.

Na lista surgem nomes como Luciano Silva, Dr. Roberto das Neves, Colucci, Ângelo da Costa Cabral, Adelaide Ivone de Sousa, Fernando Nunes, Isidoro Duarte dos Santos, Dr. Furtado Mateus, Francisco Varatojo e esposa, José Galamba, Igrejas Caeiro, Paula Ribas, Maria de Lurdes Resende, Francisco Palma, esposa e filho, Lousteau Mateus, Afonso Cautela, pastor Dimas de Almeida, Delmar Domingos de Carvalho, Palmira Bastos, Miguel Boieiro, Agostinho da Silva, José Flórido, Sofia Barradas, Carlos Ventura, entre outros focados.



Capa do livro, edição SPN
Capa do livro, edição SPN.


O autor do livro

Momento em que o autor esclarece como concebeu o seu trabalho e recorda muitos pormenores de grande valor sobre a História da SPN e algumas ligações à de Portugal e de outros países, onde foi representar esta associação.



Aspeto da assistência
Um aspeto da assistência.


Outro aspeto da assistência

 

Quando há anos descobrimos algo sobre a vida e obra do Dr. Roberto das Neves mais uma vez constatei que Portugal não tem sabido dar valor àqueles que muito contribuíram para o seu desenvolvimento, e ao invés enaltece alguns que, na realidade, muito embora até tenham sido condecorados, sua vida e obra é o que é, irá ficar na prateleira, muito embora neste período materialista os seus livros sejam vendidos aos milhares.

Roberto das Neves nasceu em Pedrógão Grande a 7 de Setembro de 1907. Foi estudar para Coimbra, mas idealista e anarquista eis que é preso pela PIDE em conjunto com o seu colega e amigo Vasco da Gama Fernandes. Tomou parte em diversos movimentos de defesa da liberdade e da fraternidade.

Grande amigo do poeta goês Adeodato Barreto, pai de Kalidás Barreto, nosso amigo, viria a sofrer profundamente com sua morte prematura.

Tem de fugir para o Brasil onde agora é que também estão analisando a sua vasta obra.

Penso que urge conhecer melhor esta personalidade e Pedrógão Grande tem uma missão especial a cumprir. Embora nem sempre concorde com ele, contudo há muito de valor em sua rica e diversificada obra.

Nela há de tudo desde política, filosofia, vegetarianismo, ecologia, esperanto, a grafologia, etc.