Artigos Recentes



Na Comemoração do dia da Freguesia de Vila Facaia, 25 de Novembro de 2010, Delmar Domingos de Carvalho falou sobre os seus livros, e de modo especial sobre os últimos três:

SOLIDARIEDADE? NÃO e SIM? FRATERNIDADE? SIM; QUEM É O PRÓXIMO? QUEM É DEUS? e a QUINTA VIA RUMO À CIDADE DA ROSA, 2ª Edição, uma obra de teatro, um drama cósmico.

 

Notas Preliminares

Começamos pelo convite:


Convite para a Comemoração do dia da Freguesia de Vila Facaia

Nele podemos ler, Filho de Vila Facaia.

Se é certo que nascemos, em Lisboa, em 1939, os nossos pais são naturais desta Freguesia, concelho de Pedrógão Grande. Daí essa alusão com a qual estamos plenamente de acordo.

Outro pormenor, fui batizado na Igreja Paroquial da Sede da Freguesia, nesse mesmo ano.

Meu pai, António Domingos de Carvalho era natural de Alagoa, topónimo que tem origem hebraico – fenícia, Alah’gaya, vertente do vale e ainda ligada a há-l-lahag, local destinado ao culto, no sentido de subir a uma festa, ao contacto com os deuses, como bem afirma o professor Moisés do Espírito Santo, e estará certo, na medida em que está situada numa vertente de uma montanha, continuação da Serra da Lousã.

Minha mãe, Luísa da Conceição, era natural do Vale da Nogueira, topónimo também ele com a mesma origem, ligada ao culto ao deus Bal, tanto mais que está situada no cimo de um morro e não num vale.

Devido à vida profissional de meu pai, foram viver para Lisboa, até que ele tem um gravíssimo desastre e tudo mudou, desde a sua carreira que ficou interrompida, estava preparando-se para ser promovido a Sub - chefe da PSP, de Lisboa, onde exercia, à civil, com outro colega, Agente da PSP de 1ª Classe, a função de acompanhar os médicos veterinários na captura de matadouros clandestinos, onde eram abatidos animais em muito mau estado e que acabavam por entrar no consumo das pessoas, com enormes perigos para a saúde pública, no caso de não serem apanhados e presos.

Após o desastre e conseguir uma grande recuperação, e apesar de ser ainda angariador de seguros e ter a sua reforma, tomam a decisão de irem administrar as terras nesta bela zona do pinhal interior.


Retrato de Delmar e seus pais

Em Lisboa, em 1948, foto com os nossos queridos pais. Era filho único pois o nosso irmão mais velho tinha morrido com meningite.

Nesse ano, fomos para Alagoa, e deste modo, frequentar a Escola Primária de Vila Facaia, 4ª classe. Depois, rumo ao Colégio de Figueiró dos Vinhos até ao antigo 5º ano dos Liceus e daqui, de novo, Lisboa, onde mantinham o andar onde viveram e meu pai ia lá com alguma frequência.

Novamente surge Vila Facaia, a localidade onde nossos pais, em criança, tinham também frequentado as aulas, nos finais da segunda década do século XX, pelos anos 1914 a 1919.


Pia batismal da Igreja de Santa Catarina, em Vila Facaia
Pia batismal onde fomos batizado

Certidão do Registo de Baptismo
Certidão de Registo do Batismo

Deste modo, somos na realidade, um Filho de Vila Facaia.


Alagoa, no cimo, as nossas casas, a da habitação, pintada e as outras que estão no lado direito quando se desce até ao Largo da aldeia que eram todas da nossa responsabilidade, e que serviam desde palheiro, diversos currais, armazém de lenha, para a conservação da fruta, forno a lenha, etc.

Vendemos a “irmãos” suíços, que estão comprando outras habitações e quiçá, um dia, serão donos de toda a localidade e será mais uma aldeia turística como já existem em outras zonas de Portugal, uma área que temos de apostar muito mais, como fonte de receita e dinamização cultural.

 

Programa

Cristo disse aos seus Discípulos: Onde ides, comei do que Vos derem.

Isto revela que, embora Eles fossem vegetarianos, na Sagrada Ceia apenas foi usado o sumo da videira não fermentado e a palavra pescadores tem um sentido alegórico, ligado à Constelação de Piscis, daí os primitivos cristãos usarem o peixe como símbolo, etc.

Face ao exposto, quando nos convidaram para almoçar com os nossos amigos e amigas, refeição enquadrada no Programa da Feira Anual de Santa Catarina, e como tínhamos de estar no Norte do Distrito de Leiria antes do almoço, agradecemos, informando para não se preocuparem que resolveríamos o assunto por meio do nosso vegetarianismo.

Mas, logo, nos lembrámos das palavras de Cristo que é o nosso Ideal, muito elevado é certo, e dissemos que aceitaríamos.

Embora não constasse no programa a Sopa de Castanhas, tradição naquela região, que nossa querida mãe confecionava com mestria, este prato surgiu e estava uma delícia. Trata-se de uma sopa que leva castanha, pode ser pilada ou não, com arroz, feijão seco da área e couves. No fundo ele encerra hidratos de carbono, proteínas, alguns minerais e algumas vitaminas, uma refeição completa...

Mais informações visitar a Página da Junta de Freguesia na WEB:

http://www.jf-vilafacaia.pt/


Nesta página podemos ver diversos pratos regionais e muitos outros dados, qual biblioteca museu.

Pelas 15 horas e 30 minutos começou a sessão solene.

No Salão Nobre desta Autarquia, o Secretário do Executivo da Junta, Bruno Miguel Antunes Gomes, fez a nossa apresentação por meio de um levantamento dos nossos dados biobibliográficos.

Falou em primeiro lugar o Presidente da Junta, José Manuel da Conceição David, que, após se dirigir a todas as autoridades presentes e aos Caros Fregueses desta Freguesia, lembrou que Delmar Domingos de Carvalho embora esteja ligado à nossa região, ele é um Cidadão do Mundo.

Depois de focar o valor do desenvolvimento cultural, uma aposta da nossa autarquia, ligou esta dinâmica ao trabalho do escritor e benemérito Delmar Carvalho que ainda recentemente ofertou mais de uma centena de livros e vai ajudar com uma quantia para o nosso projeto Eco Museu do Parque de Merendas, como apresentar os seus últimos livros.

Ainda nesta área e atendendo que a Cultura é a base do progresso vamos inaugurar o site da Junta de Freguesia, um livro aberto, com mais de trezentas páginas e numerosos mapas.

Está na sua fase inicial, e esperamos que no mais curto espaço de tempo, abranja com mais profundidade os diversos temas, oferecendo ao visitante uma realidade mais viva e atual do valor desta Região.


Presidente da Junta de Freguesia a proferir as suas palavras


O momento em que o Presidente da Junta de Freguesia estava proferindo as suas palavras, cheias de esperança e de dinamismo.

De seguida falou Dr. Carlos Lopes, Chefe do Gabinete do Exmo. Senhor Governador Civil do Distrito de Leiria, que estava em sua representação, começando por agradecer o convite, passando depois a recordar o valor do trabalho da Junta como do Município de Pedrógão Grande, como das potencialidades da Região.

“Neste feliz evento temos o privilégio de estar connosco Delmar Domingos de Carvalho cuja obra temos acompanhado não só por meio dos seus artigos publicados no jornal A COMARCA, como pelos seus livros, uma obra já vasta conhecida pelo Senhor Governador Civil e que merece o nosso respeito e gratidão, obra essa que dignifica a Região a que está ligado, como realço a sua bondade, o seu carácter. Uma das obras que vai ser focada, está unida a um tema muito atual, Solidariedade, uma área que cada vez mais devemos praticar, vencendo o nosso egocentrismo, o materialismo que campeia.”

De seguida, elogiou o novo Site da Autarquia local, que demonstra o seu dinamismo, abrangendo várias áreas, no caso, cada vez mais usado de enorme valor como meio de comunicação e de informação.

Por último, desejou um Santo Natal e um Ano Novo cheio de progresso e de felicidades.


Dr. Carlos Lopes no uso da palavra


Dr. Carlos Lopes, em representação do Governador Civil do Distrito de Leiria, no uso da palavra.

Na mesa está ainda o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, José Graça, ao lado do autor.

Por fim, pronunciámos algumas palavras sobre os nossos livros desde Contos e Ficções em Misteriosas Evoluções até ao Quem é o Próximo? Quem é Deus.

Isso permitiu que o escritor fizesse uma viagem no Tempo e no Espaço, abordando diversos temas desde a criação da Disciplina Formação de Carácter, que encerra a Educação Sexual, como uma formação integral, ao uso da Comunicação como sagrada, pelo que devemos ter mais cuidado no que escrevemos e falamos; aos Coretos, incluindo os do Concelho, edição do INATEL, à Flor da Esperança, obra também esgotada, em que há quem a coloque como sua preferida, ao lado de uma Mensagem de Pessoa, etc, terminando a sua intervenção sobre as suas três últimas obras, acima focadas.

Foi uma intervenção demasiado longa, mas que serviu para mostrar a sua obra muito diversificada.


Um aspecto parcial da assistência
Um aspecto parcial da assistência

Nela estavam diversas pessoas, todas nos merecem a maior consideração, mas permitam-me lembrar além de um casal nonagenário, o nosso amigo Carlos Santos, do jornal A COMARCA, ao vereador da Autarquia de Pedrógão Grande, Carlos Manuel Santos David, o nosso colega do Colégio de Figueiró dos Vinhos, António Santos, às professoras e alunos desta Freguesia, como aos membros restantes do Executivo da Junta e da Assembleia da Freguesia, desde o seu Presidente, José Henriques e a todos os restantes.

Era um dia de semana, pelo que muitas pessoas não puderam estar presentes devido às suas vidas profissionais e ainda bem, pois é sinal que o desemprego na região não é elevado...


Um momento dos autógrafos

Um momento dos autógrafos, no caso, com o Exmo. Senhor Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande, cuja venda reverteu para a Junta de Freguesia de Vila Facaia, pequeníssima ajuda para as obras na área sócio-cultural.


Outro momento dos autógrafos

Outro momento, neste caso, para a filha do Presidente da Junta de Freguesia, tendo a seu lado a sua mãe muito amada.

A todos temos a agradecer a amizade muito fraterna que a nossa esposa e eu sentimos e a oportunidade de poder colaborar na dinâmica desta área, honrando também os nossos pais.

Na nossa intervenção lembrámos que todas as pessoas que vivem na Grande Lisboa, incluindo o Bombarral, bebem água que vem daquela região, mais precisamente das albufeiras do Rio Zêzere (Cabril e Castelo de Bode), onde vão desaguar ribeiras importantes, cantadas por Luís de Camões e por Frei Luis de Granada que viveu na sede do Concelho.

 

[ Voltar ]