Obras Editadas

Ensaio Cosmo-Histórico sobre a Latitude de Tomar

e

O Quinto Império

 

Ensaio Cosmo-Histórico sobre a Latitude de Tomar e O Quinto Império
Pseudónimo, Rosâmide.
Edição 1986
(Esgotado)

 

Juntamos algumas opiniões sobre este trabalho, seguindo-se o texto do Intróito.

 

...considero de muito interesse, não só por se enquadrar dentro dos objectivos que a Fundação Lusíada prossegue, como por se tratar de um trabalho de muita qualidade.

18-06-1986
Abel Botelho
Presidente da Fundação Lusíada

 

...texto que faz jus ao título. Chamando para ele a atenção do leitor, transcrevemos à guisa de amostra, o intróito da obra.

Jornal A PROVÍNCIA de Tomar
18 de Junho de 1986

 

 

Intróito

 

Graças ao primeiro aspecto do DEUS TRINO, manifestado como Poder – Vontade, foi criado o Universo, não do nada porque do nada, nada vem, mas da “sempre – existente essência”, a qual mercê do Seu segundo aspecto, o Verbo – Sabedoria – foi posta em vibração harmónica. Finalmente, graças ao terceiro aspecto, Actividade, o Cosmo foi colocado em movimento. Porque este é baseado em Perfeita Sabedoria, tudo está devidamente ordenado e será mantido até ao final da última sílaba do Verbo, a partir do que toda a Manifestação será dissolvida e regressará ao Absoluto, para ressurgir na aurora dum Novo Dia em novas e superiores formas evolutivas.

Em virtude desta tríplice acção as condições cósmicas da Terra vão sofrendo lentas mas profundas mutações.

Assim, e, devido ao movimento de precessão dos equinócios, aproximamo-nos da Era do Aquário.

Se, até ao presente, a História da Humanidade se fez essencialmente graças a alguns “varões assinalados”...que por obras valorosas se libertaram da lei da morte, sabendo cumprir nobres missões cosmo-históricas, tais condições estão chegando ao seu final.

A partir de agora, o progresso exige o desenvolvimento das potencialidades de cada ser humano, por si, manifestado na cooperação altruísta, no trabalho de grupo, sem líderes, nem mestres.

“A FRATERNIDADE É A NOVA ORDEM QUE SE APROXIMA”.

Os portugueses que sempre foram sensíveis às vibrações cósmicas da Idade cujo termo se aproxima, mercê da sua capacidade interna, com carácter polivalente e universalista, reúnem mais uma vez condições para cumprirem a nova e superior missão.

Oxalá saibam aproveitá-las.

Está nas nossas mãos, acordar Portugal, construir, por meio da Lusofonia, a LUSALÉM, iluminando a Terra sob a Estrela de Belém, fazendo florir as rosas no “jardim à beira-mar plantado”, sob um céu azul, sereno e radioso.

Oh, Lusalém! Sede o SAL da Jerusalém.

O Autor

 

[ Obras Editadas ]