Obras Editadas

A Comunicação, esse desconhecido Poder Sagrado

 

A Comunicação, esse desconhecido Poder Sagrado
Pseudónimo Domingo de la Rosa
Edição de 1983
(Esgotada)

 

Juntamos algumas opiniões sobre este trabalho, seguindo-se um pequeno extracto da obra, o capítulo XII.

 

...un aporte extraordinario a la difusión de las Enseñanzas Rosacruces.

REVISTA ECOS do ano 1983,da Fraternidad Rosacruz
de S. Domingo-República Dominicana.

 

...continue por muitos anos a sua brilhante actividade intelectual.

06-06-1984
Prof. Dr. José Azeredo Perdigão
Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian

 

 

Do livro

A comunicação, esse desconhecido Poder Sagrado


Capítulo XII

O Amor Puro, O Fio de Ouro da Comunicação

 

Como já vimos, o Ego possui vários instrumentos, entre os quais, a mente consciente, a fim de obter sabedoria. Esta, porém, só existe se juntarmos o amor ao conhecimento, só assim seremos verdadeiros canais da Verdade.

Se não existir esse Amor, o conhecimento produz narcisismo, orgulho, ateísmo, materialismo e loucura.

Os exemplos históricos, como o da francesa Joana d’Arc e o do alemão Jacob Boehme, sapateiro, ambos sem instrução, são testemunhos de sabedoria, sem o intelecto desenvolvido. A Sabedoria é mensagem do Espírito de Vida, o veículo do Amor e da intuição.

Com isto não estamos a desvalorizar a instrução, a Escola Rosacruz é pioneira no direito à educação, o problema é que devemos unir ao desenvolvimento do intelecto uma sólida formação de carácter.

Se amarmos em obras e em verdade, nossas mensagens serão devidamente transmitidas. Daremos leite, isto é, ensinamentos mais simples aos que não podem assimilar carne e esta oferecemo-la, símbolo de conhecimento profundo, a quem tiver capacidade espiritual para a assimilar e dar bom uso.

Nossa comunicação será eficaz, haverá intercâmbio mútuo entre o emissor e o receptor, sem que haja perda alguma da recíproca liberdade de pensamento e de acção. Não procuraremos impor, mas, apenas expor, com humildade e confiança. Nosso fim é o bem-estar dos outros, não nos moverá o egoísmo ou a inveja, nem a hipocrisia que só perturbam as vias de transmissão. Nossa aspiração será a Verdade que a todos libertará.

Só com esse Puro Amor manteremos o domínio de nós mesmos em todas as circunstâncias, e desta arte seremos canais da Luz e da Harmonia.

Como disse S. Paulo, o Amor é sereno, paciente, etc. Com efeito, quem o possuir jamais emitirá ruídos ou formas grosseiras de comunicação.

Sim, com amor, qualquer pessoa é rica, possui aquela fortuna que não ganha ferrugem, nem pode ser roubada. Ela dá desde um sincero e atraente sorriso, a um cordial aperto de mão, a um olhar bondoso e fraterno, até à sua própria vida por uma causa verdadeiramente justa e Superior que estará de acordo com a Vontade do Pai.

Na prática, o valor desta força atómica, capaz de tudo vencer, é praticamente ilimitada.

Em todas as profissões ele é importantíssimo, mas em algumas é capaz de conseguir milagres. O médico, por exemplo, será canal do poder curativo do Supremo Médico. Sua mente e seu coração estarão em sintonia com Ele, e será, assim, bom emissor da arte sagrada de curar.

Ah! Como seriam diferentes as estruturas vulgarmente denominadas por meios de comunicação, como jornais, revistas, rádios, televisões, internete, etc, se vivêssemos esse amor!

Se ele existisse, em obras e em verdade, a publicidade seria feita sob a bandeira da verdade e do respeito pelo próximo; jamais manipularia. Se ela reinasse nos corações dos profissionais da comunicação, considerando-a, no seu sentido lato, procuraríamos transmitir o Bem que é praticado, as partes positivas, o Belo como sublime, colocando em segundo plano, as guerras, as intrigas, os snobismos, etc. Nestes últimos factos, só haveria, como interesses, análise das causas e dos efeitos de tais problemas como apontar-se-iam os meios de os eliminar.

Desta maneira se ajudaria a incentivar o espírito construtivo, a harmonia, e assim por diante, enfim, criar-se-ia a base dum mundo melhor.

 

[ Obras Editadas ]