Primeiro Centenário

da Fraternidade Rosacruz

de Max Heindel

Entrada da Sede Mundial Rosicrucian Fellowship, Oceanside, California
(1909-2009)

Meditações

Sobre quem é o próximo?

E Quem é Deus?

De acordo com os ensinamentos de Max Heindel e dos Rosacruzes, em sintonia com os de Cristo.


Notas Introdutórias

Do nada, nada vem, nem nada existe.

Quando falamos sobre algo, já outros, anteriormente, falaram sobre este tema.

Quando escrevemos sobre qualquer assunto já antes houve quem os escrevesse embora de modo diferente.

Quando descobrimos algo, ou inventamos de modo original, partimos de uma base que nos foi já legada.

Todavia, há sempre algo de novo que pode e deve surgir para bem da libertação das diversas ondas de vida que involuem e evoluem.

Vem isto a propósito de um facto em que participámos com jovens de valor espiritual que aproveitam devidamente os seus tempos em que aos fins - de- semana e não só procuram trabalhar em grupo para bem dos outros ou para reflectirem sobre temas transcendentes.

Mas existem jovens com esse nível? Existem e muitos!

O problema é que há uma certa inclinação para ver e comunicar o negativo, em vez de nos fixarmos no que existe de positivo, procurando divulgá-lo, com humildade, mas com firmeza.

A nossa participação foi pequena e fugaz, mas as perguntas que nos foram feitas têm servido para meditar e aprofundar os temas.

Numa bela tarde de Verão andávamos no contacto com a Natureza, apenas com a esposa e Deus que em nosso ver e sentir está em toda a parte.

Com alguma frequência fazemos esses passeios, tendo presentes as sábias palavras de S. Francisco de Assis, o Pai da Ecologia panzoísta.

Eis que nos aproximámos de um grupo de jovens, todos sentados, formando um círculo, menos um que estava de pé.

Bela imagem em formato circular comunicando algo mais profundo, dissemos, depois de desejarmos uma boa tarde.

Eis que de seguida nos surge uma pergunta:


Quem é para si, o próximo?

Naquele instante ouvimos o assobiar muito lento do irmão vento e logo nos lembramos de S. Francisco de Assis, pois as folhas de uma azinheira mexeram-se com a sua breve e agradável passagem.

Meus amigos: ao ouvirmos o irmão vento e ao olharmos para a nossa irmã azinheira e para Vós como para minha esposa, pois tudo isso é o nosso próximo. Se destruirmos o meio ambiente, a Natureza, eis que estamo-nos destruindo a nós mesmos.

O vento torna-se um veículo destruidor e cheio de impurezas que nos intoxicam como ao meio ambiente. Quem diz o vento, diz a água, portanto, tudo isso é o nosso próximo.

Silêncio...


E o que é para si, Deus?

Bem, aqui a resposta é mais difícil, cada qual tem feito Deus à sua imagem, quando é o invés.

Talvez seja melhor lembrar que Deus é Amor, Deus é Luz, Deus é Paz, Deus é a Única Vida e assim por diante.

De novo silêncio...

 

Entretanto, os nossos amigos tinham de ir para outro local, cumprirem os seus deveres.

Tinha terminado o momento de reflexão, de meditação.

Nunca mais vimos estes nossos amigos, estes nossos irmãos e irmãs.

Todos ficaram em nossos corações.

E os anos têm passado.

Chegou o momento para reflectir convosco sobre estas questões de enorme valor, questões do passado, do presente e do futuro.

Merecem toda a nossa atenção, se merecem, caros amigos e caras amigas.

O mundo pode ser muito melhor, consoante a ideia que tivermos do próximo e de Deus, conforme actuarmos com ele e com Ele ou antes neste último caso, se cumprimos a Sua vontade ou a nossa.

 

Para si: Quem é o próximo?

E quem é Deus?

O próximo não será o finito e o infinito?

E Deus quem é?


Meditações

Este momento e esta conversação com os nossos irmãos e irmãs ficaram bem gravados em nossa alma.

Os temas são valiosos e merecem uma reflexão profunda; são dignos de meditações frequentes na procura das faces da verdade.

As nossas respostas tiveram por base os ensinamentos de Max Heindel, como de alguns Rosacruzes, entre eles, S. Francisco de Assis, o Cristo da Idade-Média, que, como disse, o nosso Querido Mestre e Amigo Francisco Marques Rodrigues, são outros, além dos mencionados por Max Heindel.

Como temos o dever de investigar e reflectir por nós, eis que fomos até ao maravilhoso texto bíblico.

E não é que no Antigo Testamento há traduções de palavras hebraicas por próximo que no fundo engloba toda a criação divina e não só o ser humano!

Bem razão tinha o Grande Irmão Francisco de Assis como Max Heindel, como os rosacruzes Paracelso, Goethe, Shakespeare, Luís de Camões, Francisco Bacon, Roger Bacon, Robert Fludd, e outros irmãos e irmãs que viveram no século XX, membros da Fraternidade Rosacruz de Max Heindel.

Uma das palavras hebraicas que foi traduzida por próximo é rea, a qual engloba o reino mineral, coisas que são consideradas como não tendo vida...

Também Cristo na Parábola do samaritano, S. Mateus, 10, 36 e 37, perguntou: Qual dos três tu achas que tenha sido o próximo daquele homem que caiu nas mãos dos salteadores? Respondeu: Foi o que usou de caridade. Cristo aconselha-nos a seguir este exemplo.

Os três irmãos estiveram perto do que estava sofrendo, meio-morto, mas só um o ajudou, só um cuidou dele. Este é que foi o verdadeiro próximo dele.

Voltando ao Antigo Testamento, outras palavras traduzidas por próximo encerram a ideia de amigo, de irmão.

Por sua vez, a palavra rea, na sua raiz, encerra poderes vibratórios, flutuantes.

Ora tudo vibra, tudo oscila, os fenómenos da vida têm oscilações ritmadas; o ar encerra forças de atrito como desencadeia outras forças dinâmicas. Também a água dos oceanos e não só tem as suas ondas que expressam vibrações acústicas, eléctricas, como os seres humanos, os animais, os vegetais e até os minerais têm as suas vibrações como as partículas mais minúsculas que existem.

Como tudo existe em Deus, logo o próximo está n’Ele e por Ele tudo está interligado desde a estrela–do-mar até à estrela do sol.

Por outro lado a ideia de próximo, como estando perto de nós, é relativa; tudo evolui.

Afinal, o Ego de cada ser humano não é uma parte de Deus? Max Heindel não nos aconselhou a procurar a essência divina que está oculta em cada um de nós e viver em Fraternidade?

Logo, todos estamos ligados entre si, muito mais do que pensamos e sentimos, no nosso estado actual evolutivo, por meio do deus interno há uma profunda união universal, de tal modo que se um irmão nosso está mal num ponto qualquer da Terra todos nós não podemos estar bem.

É uma realidade que em Deus vivemos, nos movimentemos e temos o nosso ser, portanto, o próximo está aqui, ali e além.

Com o avanço tecnológico vemos os irmãos seja na televisão ou na internet, ou por meio de outros meios de comunicação, como nas fotografias, no cinema, e assim por diante.

Se, ao vermos estas imagens, sentimos ódio ou desejamos ter posse de, vibramos negativamente, para com o próximo, que pode estar na longitude oposta à nossa; também temos uma enorme responsabilidade pelo uso que damos às imagens.

Uma foto é matéria, mas encerra algo mais profundo, mais elevado.

E a matéria não é espírito cristalizado como nos ensinou MH?

E a Natureza não é o símbolo visível de Deus?

E o Espaço não é Espírito não cristalizado?

Sendo assim, a nossa responsabilidade é muito maior do que pensamos perante o dever de amar o próximo.

Razão tem Francisco de Assis quando disse: minha irmã água, meu Irmão Sol; meu irmão vento; meu irmão lobo; minha irmã erva, meu irmão fogo, etc.

Ou na realidade respeitamos todo o meio ambiente, tudo o que nele existe, afinal o próximo, ou temos tempestades sobre nós.

Poluímos numa certa zona da Terra, mas essa poluição vai afectar todo o globo; se melhorarmos uma região vai ajudar a melhorar as outras.

E nesta dinâmica vemos as sábias palavras de MH: o caminho mais curto é servir com amor; Cristo o que deseja é que sejamos fiéis servidores e não filósofos.

A Vida Única e Una está em toda a parte, Ela tudo interpenetra, daí a visão da filosofia rosacruciana, como um todo, ela é panzoísta, não panteísta.

A palavra grega Zoon e segundo o Dicionário Liddell and Scott Greek-_ English, que foi usado por Max Heindel, pois é o mais perfeito e mais profundo, não seria de admirar, MH sabia onde ir buscar a Luz, não em outros dicionários, como aquele onde estudámos que traduzia a palavra aion apenas por eterno; erro profundo, naquele dicionário lá está: tempo indefinido, época, idade; como no caso de Zoon, expressa a ideia de vida existente, força vital, mais tarde, acabaria por ter o significado de animal; sendo criada a palavra Bio para significar a vida.

Neste momento aquele Dicionário está sendo traduzido para Grego-Português o que é um positivo a louvar, para bem da Verdade.

Por isso, o filósofo austríaco, Professor Dr. Franz Martin Wimmer, Universidade de Viena, no seu trabalho sobre a Filosofia dos Povos primitivos dos Andes, afirma que a cosmologia andina era e é panzoísta, pois respeitavam a Natureza, usando a palavra panzoismus.

Na língua inglesa é usada a palavra: panzoism, termo usado para denotar todos os elementos ou factores os quais tenham energia vital.

 

Em resumo:

O próximo engloba toda a criação e está para além da proximidade; no fundo ele é universal, porque embora nasçamos na Terra, somos seres divinos; fazemos parte do nosso sistema solar e este do todo Universal.

Como partícula divina estamos unidos por laços profundos ao todo, ao Absoluto.

 

Quem é Deus?

De novo MH nos vai esclarecer.

Deus, como o Absoluto, a Existência Una, que está para além do nosso actual estado de compreensão, e que apenas podemos ter esta noção, contudo muito profunda: Ser Ilimitado, Raiz de toda a Existência.

Na aurora de um grande Dia de Manifestação procede o Ser Supremo, Este é o Uno que é chamado no evangelho de S. João Evangelista, Christian Rosenkreuz, de Deus, D’Ele emanou o Verbo, o Som Criador, a Palavra Sagrada, que se tornou carne no sentido de tudo o que está manifestado, todo o Universo finito mas em expansão no Absoluto Infinito e ainda o terceiro aspecto, Movimento.

Do Tríplice Ser Supremo procedem os 7 Grandes Logos. Ver Diagrama 6 do Conceito. Estes encerram todos os 7 Planos cósmicos, onde evoluem numerosas Hierarquias Divinas, dos quais apenas sabemos algo do último onde estamos, ou seja onde existem os sistemas solares.

Diagrama nº 6, Conceito Rosacruz do Cosmo
Conceito Rosacruz do Cosmo de Max Heindel
Edição da Fraternidade Rosacruz,
Sede Central do Brasil, São Paulo, 1961.

Cada sistema solar tem o seu Deus, o Seu Arquitecto que vive no Plano mais elevado, no 7º.

Cada um destes Deuses expressa-se também de modo tríplice: Vontade, Sabedoria e Actividade.

Por fim, a Trindade: Pai, Filho e Espírito Santo.

Reverenciamos como Pai, o mais Alto Iniciado da onda de Vida dos Senhores da Mente; Filho, Cristo, o nosso Salvador, o Senhor do Amor e da Luz, o mais alto Iniciado da onda de Vida dos Arcanjos e Espírito Santo, da onda de Vida dos Anjos.

Tudo é Espírito e Este tem como pólo positivo a Vida que está presente em tudo, que jamais foi criada, sempre existiu e existirá, e que galvaniza todas as formas que é o Seu pólo negativo.


Na palavra Espírito surge a raiz grega pir, fogo. E é esse Fogo Espiritual que arde dentro de nós, como no Tabernáculo, para nos purificar.

Foto tirada ao meio-dia, ao nosso Irmão Sol, Cristo Cósmico,
debaixo de intensa ramagem de pinheiros mansos. Produziu
este efeito, cor de fogo, vibrações intensas, lembrando que
o Amor é Fogo que arde...
Autor: D.D.C., 1987.

Conhecedor desta realidade, o poeta rosacruz Luís de Camões escreveu que O Amor é fogo que arde e não se vê.

Sim, ele arde a uma temperatura de mais ou menos 36,5 graus, se arde acima eis que Deus nos está purificando para queimar as impurezas que criámos em nossos corpos por maus pensamentos, desejos e actos.

Também outro poeta rosacruz, Shakespeare afirmou em sua obra Romeu e Julieta que o amor...é fogo que arde. Mais uma vez se vê a influência dos Irmãos Maiores na dinâmica dos Seus Mensageiros.

Deus é Amor e o que vive em Amor vive em Deus.

Ora, Deus no sentido do deus Interno, Aquele que devemos procurar dentro de nós, como nos aconselhou o rosacruz Paracelso, e que devemos ouvi-Lo e segui-Lo para Bem de todos.

Por Ele estamos todos ligados ao Macrocosmo.

Mas Deus também é Luz, é Sabedoria.

Por isso, só há um caminho para a libertação é Amar a Deus sobre todas as coisas: é amar a Beleza Pura; é amar a Verdade, é Amar a Harmonia, é Amar a Justiça; é Amar a Liberdade; é viver em Fraternidade.

Na Sabedoria há amor; no conhecimento há orgulho e vaidade, a glória das almas pequenas; no Amor só há espírito de servir com altruísmo e não o desejo do poder, da fama e da fortuna.


Terminamos: Quem é Deus?

Cada um de nós terá a sua Verdade, estas são em grande parte expressões dos ensinamentos dos rosacruzes, de Max Heindel, o arauto dos Irmãos Maiores que em 1909 criou a Fraternidade Rosacruz com o Seu nome.

Cem anos passados o que há a fazer?

Como estamos?

Para amar, temos de perdoar do fundo do nosso coração.

Amemos e perdoemos; procuremos o Bem em tudo; sejamos gratos e muito prudentes.

Desejemos é servir e não os poderes.

Simplifiquemos as nossas estruturas, de acordo com os ensinamentos de Max Heindel em que cada qual deve trabalhar para o Bem geral, sem líderes; cada qual não deve limitar o trabalho dos outros, mas saber aproveitar todas as ideias e todas as ajudas altruístas e elevadas.

Vivamos em Amor, na Luz de uma verdadeira Sabedoria.

Assim, vivemos em Deus e em perfeita harmonia com o próximo.

 

Delmar Domingos de Carvalho

 

[ Centenário ]