Vida Cíclica e Espiralada

Estações do Ano

Outono


Anjo a tocar violino


Notas Introdutórias

Na evolução infinita da Harmonia das Esferas, os Sons Cósmicos mudam constantemente as suas vibrações espirituais com enormes influências nos mundos mais densos, designadamente no Mundo Físico.

Libra é a Constelação que marca o começo outonal, com a sua nota vibratória em Ré Maior, seguindo-se Escorpião, em Mi Maior e Sagitário em Fá Maior.

Na Harpa Celestial, os deuses cantam melodias plenas de Melodia, de Harmonia e de Ritmo, ajudando-nos a subir à nossa verdadeira Pátria, pois, como bem disse, Richard Wagner: “A Música é a linguagem do Amor”.

Entrámos no Outono, Albert Camus defendeu e bem que “é uma nova Primavera em que cada folha é uma flor”.

Com efeito, as mudanças são profundas, os gnomos dão, agora, outras tonalidades às folhas, cheias de beleza, que irão cair até à Terra para completar mais um ciclo espiralado.

 

Outono
Fala a imagem!

Tudo está em constante mudança.

Na fase anterior, durante o mês de Setembro, estamos falando sobre o que sucede no Hemisfério Norte, como se sabe, no Sul, começou a Primavera, pois há uma profunda preparação para a fase outonal.

O mito astronómico bíblico sobre Sansão e Dalila refere-se, magistralmente, a esta fase.

Para isso, temos de saber interpretar este maravilhoso texto, como os rosacruzes ensinam.

Muito embora não haja uma única linha do texto original do Antigo Testamento, contudo ele é um manancial de Luz sobre diversas áreas desde a filosofia, a astronomia, a poesia, enfim sobre as artes e ciências, como sobre o campo do misticismo.

É um livro cheio de alegorias, de mitos, de símbolos, pelo que interpretá-lo, literalmente, é um enorme erro com nefastos efeitos para as mentes e os corações dos seres humanos.

Nesta era de materialismos, de ateísmos, de orgulho intelectual, de fanatismos, de falsos espiritualismos, de filosofias superficiais, ainda dominam, os falsos messias, os perdidos na matéria.

Dão-se valor a artigos, livros, etc, oriundos de mentes cristalizadas na matéria e não só.

Mas cada qual é livre de seguir o seu rumo.

No caso, de Sansão e Dalila, pois estamos perante um mito astronómico em que Sansão, palavra oriunda do Hebraico, shimshon, e este de shemesh, que quer dizer, o Sol.

Onde é que Sansão tem o seu poder? Nos cabelos, ou seja, nos raios solares, que em Setembro começam a perder a sua força, ou seja no mês de Virgo, Dalila que os corta e assim Ele é derrotado. Entramos no Outono, seguido do Inverno, onde dominam os Filisteus, os senhores das trevas. Só que Sansão, de novo, recupera a Sua força e eis que na Páscoa Ele derruba as grades em que todos estamos mais ou menos presos a este Mundo Físico e com a Ressurreição, a Vida se renova, plena de Força e de Energia.

 

O mito Sansão e Dalila

Sansão, renovado nas Suas Forças, para derrubar as cadeias em que estamos neste mundo físico.

Entre os diversos símbolos bíblicos temos Caim que simboliza os Egos que, desde o começo da evolução, se inclinaram para as artes e para as ciências e os filhos de Abel, por meio de Set, inclinaram-se para o sacerdócio, eram pastores. E assim sucessivamente.


Voltando ao Outono, ao Signo de Libra, regido por Vénus, o planeta do Amor, nesta fase é mais etéreo, dirige-se para os meses do frio, em que a vida espiritual é mais intensa do que a física da Primavera e do Verão.

Selo do signo Libra

Um selo emitido pelo país, nele inserido, e ligado a esta Constelação.

Na mitologia, Balança está ligada ao mito de Témis que tinha um sobrinho de nome Júpiter. Este deu-lhe 3 filhas: a Paz, a Lei e a Equidade. Témis, a Justiça, tem uma venda sobre os olhos, segurando numa das mãos, uma balança. Dado que não vê os factos, as coisas, ela é objetiva, sendo capaz de emitir um julgamento.

Em termos reais, Cristo, o verdadeiro Juiz, de novo desce até ao Mundo Físico, para ajudar-nos à libertação da matéria, da cruz que cada qual carrega.

É algo muito penoso para um Ser tão grandioso que tem poderes para tudo dominar, porém, jamais os usa para impor seja o que for.

Descendo dos Mundos Superiores, Ele acaba por nascer de novo, no Solstício do Inverno e elevar-se na Páscoa, deixando enormes impulsos e vibrações da Vida para que possamos continuar a nossa evolução, rumo à libertação dos ciclos espiralados do renascimento.

Graças a Ele a Terra não foi reduzida a meteoritos, devido a erros nossos, ao nosso materialismo e falso espiritualismo.

Capa Unisono

Gravura sobre astromedicina, em que estão todas as Constelações do Zodíaco em que podemos ver, entre os restantes, os símbolos ligados aos meses do Outono, Libra, Escorpião e Sagitário.


Aprendamos as lições que nos são dadas, sabendo apontar os raios mentais até à Justiça, à Paz, ao Amor Puro, à Harmonia, à Liberdade, vivida numa verdadeira Fraternidade Universal, o Seu Reino que será uma realidade, quando for a Hora.

Saibamos tecer o traje dourado por meio de serviço amoroso e humilde, de modo a que não nos percamos na ilusão da matéria.

Cristo

Cristo, o Senhor do Amor e da Luz, continua sofrendo por Amor a todos nós.

Saibamos segui-Lo em obras e em verdade.

Desde Setembro, Outubro, que colhemos o que semeámos para ter o pão físico, mas não podemos esquecer que há milhões de seres humanos que o não têm e que estão morrendo à fome a cada momento.

Afinal, onde está o humanismo cristão?

 

[ Voltar ]