O Valor da Educação

III

O Melhor Período

 

Cada vez é mais consabido que o melhor período para educar será até aos 7 anos, e O IDEAL SERIA ATÉ AOS 3 ANOS.

Temos defendido o que há muito está comprovado, os jovens devem preparar-se para serem pais; quando a mãe está grávida deve seguir uma alimentação apropriada, revitalizante mas frugal, purificadora, como devia ter um ambiente de harmonia, de alegria, de bons exemplos ao seu redor. Após o nascimento, em local com ambiente musical, cores algo celestiais, etc, grandes mudanças teremos de fazer nas maternidades, nas cores das paredes, etc, pois após esse grande momento do primeiro grito, eis que as crianças necessitam de ambientes onde domine a paz, o amor puro, a disciplina, a ordem, onde não vejam programas televisivos porque mesmo os telejornais, seja qual for o país, transmitem imagens destruidoras, ruídos, etc, etc, que ficam bem gravadas na criança, fazendo parte da sua mente subconsciente, base da transmutação alquímica. Brinquedos, nada de bélicos, deve-se dar prioridade para os não feitos, de modo a que vão aprendendo a construir, a melhorar a sua concentração, etc.

Alimentação, bem, os nossos filhos seguiram o regímen lacto-ovo-vegetariano; tem de haver alguns conhecimentos sobre nutricionismo e não só, etc, mas é uma área de enorme valor para a formação integral. Bem diz a sabedoria popular: diz-me o que comes, que direi quem és.

A Música, essencialmente aquela que comunica PAZ, ALEGRIA, LIBERDADE, AMOR, encerrando HARMONIA E MELODIA NUM RITMO CÓSMICO.

Também os Contos são meios preciosos de educar, têm de ser é edificantes, como as canções de embalar são meios valiosos, neste caso a mãe como em tudo tem uma missão imprescindível a cumprir.

Bem, se nesse período não lhes forem dadas as bases, depois, começa a ser algo tarde e após os 14 anos, quando nasce o corpo de desejos, ainda mais difícil; após o nascimento da mente, aos 21 anos (embora todos os veículos estejam em si, eles tornam-se activos plenamente nos períodos indicados, variando de pessoa para pessoa, o seu início) então...

Há uma história, muito valiosa, contada por nosso pai:— Havia uns pais que deixaram fazer tudo ao filho único, desde muito menino: foi crescendo, crescendo e cada vez era mais indisciplinado não só para eles, como para todo o mundo; o pai tentou, então, educá-lo... discipliná-lo, mas não deu efeito algum... Passados uns anos desapareceu... Com ansiedade, os progenitores procuravam o seu ente querido... só que este não aparecia; até que, um dia, quando o pai viajava, é assaltado por um jovem homem, com barbas grandes, roupa suja e rota, etc! Fica cheio de medo... pede ao assaltante para não o ferir...O jovem homem diz para ele: — Dobre ali aquele sobreiro pequeno. O “senhor” dobrou-o.

— Bem, respondeu o jovem que não tinha sido reconhecido pelo pai, foi capaz de dobrar esse pequeno; agora, tem de dobrar aquele ali já com alguns bons anos, senão.... O pai, com medo, respondeu-lhe: — Esse é impossível, não sou capaz. Por favor tenha piedade de mim...

O jovem, então, dirige-se ao pé dele e, cara a cara, pergunta-lhe: — Não me está reconhecendo? Oh! Querido, filho, estás nesse estado?

— Estou e a culpa é sua como da mãe que me deixaram fazer tudo o que queria, quando era como aquele pequeno sobreiro, então, não me dobraram; quando já era um homem crescido, como o sobreiro velho, pois tentaram, mas era tarde... Agora, sou um salteador...

Bem a responsabilidade, embora fosse e grande dos pais, também era dele, como do meio ambiente onde nascera e vivera; como das estruturas existentes para a regeneração.

Por isso, pais e mães a responsabilidade é enorme e ou educam os vossos filhos quando pequeninos, ou mais tarde.... eles poder-se-ão tornar em deliquentes.

Depois, mais grave ainda, alguns desses pais, também não permitem que os professores lhes dêem educação e por vezes até nem a instrução: o professor mandou-te fazer em casa todos esses trabalhos, pois não fazes: ele que trabalhe na escola, etc.

Resultado, os meninos e as meninas foram habituados a fazer só o que queriam, a pensar que o mundo girava à sua volta, o egoísmo impera, como o ódio, a inveja, o egocentrismo, depois temos os filhos batendo nos pais e também nos professores, porque as leis estão mal concebidas.

Os meninos e as meninas, demagogicamente, só têm direitos, quando só os devem possuir, quando se cumprem os deveres. E este ponto de vista deve ser aplicado a todos em geral, desde políticos, professores, pais e a todas as pessoas que estão ligadas a este processo.

É TEMPO...

Urge mesmo e temos de ser todos a agir porque a responsabilidade é mais ou menos geral, cada um com as suas especificidades, todos com as gerais.

PRECISAMOS DE PROGRAMAS TELEVISIVOS CONSTRUTIVOS QUE COMUNIQUEM O QUE DE POSITIVO É FEITO NO MUNDO E É MUITO, MUITO MESMO, SÓ QUE É RARO SER NOTÍCIA...PRECISAMOS DE BONS LIVROS, ETC, ETC. E DE PAIS EDUCADOS, COMO DISSE O MAIOR POETA ALEMÃO: GOETHE.

 

[ Educação ]