O Valor da Educação

II

Experiências

 

Cada qual tem as suas próprias experiências na Vida; muitas das vezes estão aqui as melhores lições.

Há poucos anos, quando estávamos num restaurante vegetariano para os seus sócios, na cidade onde, nesta vida, voltámos, DE NOVO, ao Mundo, Lisboa, eis que um professor, competente, que amava a sua profissão, estava sendo bombardeado com perguntas de outro sócio sobre o estado da educação em Portugal. Este nosso amigo que tinha dado aulas num Liceu da Capital, estava, agora, leccionando numa Escola Secundária de uma zona problemática.

À resposta: como ia o ensino? Esclareceu: alguns pais o que desejam é ver-se livres dos filhos, mandando-os para as Escolas. Pensam que eles estão lá...só que passam a vida a arrumar carros na Rua X ou Y. Não será de admirar, pois são filhos de pais com sérios problemas socioeconómicos e outros.

Então, a instrução está mal? - insistiu a outra pessoa.

Há colegas, poucos, o que desejam é o fim do mês; o regulamento disciplinar e algumas leis na área da educação, como algumas estruturas existentes, merecem nota negativa; outras, positivas.

Falta muito nas Escolas, falta educação, o professor não tem autoridade, que nada tem a ver com ditadura ou maus- tratos, jamais, contudo há alunos que necessitam de escolas apropriadas e quase não existem.

Todavia, quantos casos podíamos focar sobre experiências nas Escolas; muitas também positivas? Pais que sabem educar os seus filhos, que contribuem para a melhoria das condições nos locais de ensino, seja individualmente, ou em grupo, por meio das Associações de Pais, etc, etc. Quantos professores não dão aulas a mais, não levam para casa numerosos trabalhos, testes para examinarem; compram, dos seus bolsos, materiais para melhor cumprirem as suas funções, materiais esses que deviam ser fornecidos pelas Escolas, mas não há meios financeiros.

Também temos observado algumas mães deixando fazer tudo o que os meninos ou meninas, entre os 7 e 12 anos, desejam; por vezes até pontapeando nas suas pernas, sem sequer os repreenderem!!! Outras acabam por nos dizer que não conseguem fazer nada dos filhos. À pergunta: certamente deixou-os fazer tudo o que desejavam desde pequeninos; certamente deixou-os ver programas de televisão de qualquer forma; se calhar falou sobre assuntos que eles não deviam ouvir, ainda em tenra idade, convencida que o filho ou filha não registaria? Ouvimos o silêncio, como resposta!!! Há um ponto que todos os pais devem ter presente: o melhor período para educar é até aos 3 anos, como ainda até aos 6 anos!!! Tudo o que ouvem e vêem ficará gravado na sua imaginação, pelos seus 5 sentidos muito apurados nessas idades e essa base irá influenciar o resto da vida.

É um problema para comer. Bem, também aí tem feito a sua vontade? Tenho, senão não come nada... ou come só o que deseja!!! Pois é, quase sempre o que não devia ingerir, desde guloseimas até fritos, etc.

Experimente: por exemplo, ao almoço, ele não come uma sopa com produtos como cenoura, cebola, arroz, tudo triturado; tudo bem... não come essa sopa, então não comerá o segundo, nem doces, etc. Ao jantar irá surgir a mesma sopa, como viu que não venceu... acabará, chorando, mas vai comê-la, e assim por diante. Caso esteja doente, então será diferente.

 

[ Educação ]