As Novas Tecnologias e as Artes


Na medida em que nos aproximamos da Idade do Aquário as Ciências evoluem a passos cada vez mais gigantescos.

Com a sua evolução, também as tecnologias progridem a cada momento, exigindo uma constante adaptação e uma permanente aprendizagem.

Até à entrada nessa Idade, que, segundo a Escola Rosacruz, será no ano 2658, surgirão novas e mais profundas descobertas, muitas delas contribuindo para a sua espiritualização, ultrapassando esta onda de materialismo e de orgulho intelectual em que mergulharam e conduziram à criação duma civilização contra as Leis da Natureza ou Divinas, com graves efeitos sobre o planeta e sobre todos os reinos que nela involuem e evoluem.

Com esse progresso, com essas descobertas, novas e maravilhosas tecnologias irão ser inventadas, cada vez com maior originalidade e mais respeito pelas Leis já focadas.

Tudo isso irá contribuir para a criação duma nova e muito melhor civilização, em que as Artes serão mais científicas e as Religiões serão cientificadas.

No caso, as Artes estão já recebendo os benéficos efeitos das novas tecnologias da computorização, conduzindo a novas formas artísticas com efeitos especiais e com níveis cada vez mais aquarianos, livres e libertadoras, que ajudarão a um maior desenvolvimento intelectual e estético, subindo ao plano mental abstracto que contribuirá para o progresso individual, no campo da espiritualidade.

Essas novas tecnologias surgem aplicadas desde a fotografia ao cinema, a todos os meios audiovisuais, à internet, vejamos, neste caso, as Páginas da Fraternidad Rosacruz de Madrid, em Espanha, na ligação, OBRAS DE ARTE, como na do Centro Rosacruz de Max Heindel de Rio de Janeiro, ou do Centro de Campinas, S.P, ambas no Brasil como noutros Centros em diversos países.

Quando aplicadas nos cenários das grandes Óperas de R, Wagner, de Gounod, de Mozart e de outros compositores geniais, produzem maravilhosas criações artísticas que nos elevam ainda mais aos planos supra-físicos.

O mesmo sucede nos Bailados, enfim, em diversas áreas da linguagem universal, de tal modo que estão conduzindo à criação da música para essa Idade da Fraternidade, da Liberdade responsável, do uso da epigénese, da união entre a Arte, a Ciência e a Religião.

O cristianismo esotérico será a religião desse espaço de tempo, ajudando à união entre os filhos de Caim e de Abel.

Como é evidente, os trabalhos são além de diversificados, cada um tem o seu nível, desde ao mais simples até aos mais elevados, mais criadores e sublimes, exigindo um profundo conhecimento das novas tecnologias como das ciências, das artes e das verdadeiras correntes filosóficas esotéricas.

Porque a gratidão deve ser uma das qualidades a desenvolver, cada vez mais, pela nossa parte, permitam-me inserir o trabalho amoroso feito por uma amiga do facebook, amizade virtual, mas que em muitos casos se desenvolve e aprofunda numa amizade real, ajudando á construção da Fraternidade Universal.

Tudo depende do modo como cada qual usa estes meios, as diversas páginas. Pela nossa parte elas servem para enviar mensagens aquarianas, por meio de imagens e de textos, para alicerçar amizades com pessoas dos mais diversos credos e povos de todos os continentes.

Juntamos esse trabalho, modesto nesta área, em que surge a nossa foto, que pouco valor tem para o caso, não devemos cultivar o culto da personalidade, mas sim o da Fraternidade e essa está na base da criação deste trabalho duma nossa amiga da Argentina, país donde mandámos vir as primeiras obras de Max Heindel, edições em espanhol, Editorial Kier, Buenos Aires, como, a conselho do nosso querido amigo e mestre Francisco Marques Rodrigues, assinávamos o Anuario Americano BUCHELI, também edição da Kier.

Foto composição de Azul Cielo

Como esta foto composição, a nossa amiga, que usa o pseudónimo, Azul Cielo, fez já diversas para as suas amigas e amigos do Facebook e não só.

Apenas o nosso obrigado pela sua amizade fraterna, pelo seu elevado valor espiritual que Azul Cielo encerra em seu coração.

Com gratidão e amizade,

Delmar Domingos de Carvalho

 

[ Artes ]