Bordados

A bela arte do ponto cruz


A beleza é a glória da verdade

Platão

Tudo tem a sua beleza.

O problema está em cada um de nós; como sabemos procurá-la; como a entendemos; como a admiramos ou contemplamos.

Como expressão divina, encerra a Harmonia, o ritmo e a melodia, como um hino ao Criador.

No caso, estamos perante um trabalho de nossa cara esposa, que, quando jovem, esteve na dúvida, se seguia o rumo para as Belas-Artes ou para o ensino. Este foi o escolhido e bem; nele pode exercer também as belas-artes, como meio educativo, libertador.

Contudo, esta área, os trabalhos manuais, o bordado, é um dos seus meios de transmutação.

Aqui temos um trabalho em que a par da sua arte, está uma das máximas da profunda sabedoria popular, no caso, diremos mesmo, sabedoria esotérica.

Todo o conjunto comunica Luz, desde a escolha em seguir o caminho recto, ascensional, do Iniciado, simbolizado na vara, e o rumo em espiral, simbolizado no caminho mais ou menos espiralado, ondulado, que é o seguido pela esmagadora maioria dos seres humanos.

No cimo, uma ave, simbolizando o voo do Auxiliar Invisível para ajudar o próximo.

Uma obra para meditar, para seguir; pois a paciência está intimamente ligada ao Amor e Este é a base do real progresso, está unida às virtudes, ou seja, às rosas.

Que as Rosas floresçam em cada um de Vós, são os sinceros desejos da Maria Amélia, a autora, e do Delmar, seu esposo.


Bordado pela Mélita

 

[ Artes ]